terça-feira, 18 de novembro de 2014

A IMPORTÂNCIA DO CÁLCULO MENTAL PARA A CONSTRUÇÃO DO CONCEITO DE NÚMEROS PARTE II



Nas escolas, o problema é que ensina-se para os alunos como calcular desconsiderando totalmente o que já sabem. Como sabemos, o cálculo mental sempre esteve presente no comércio ou na construção civil, por exemplo, e os professores precisam trazer essa habilidade para a sala de aula.
Muitas crianças são dotadas de uma inteligência matemática única e são capazes de resolver problemas matemáticos, fazer contas e falar a tabuada mais rápido que outras que estariam usando uma calculadora por exemplo. É importante que o professor estimule os alunos a usar a mente e o raciocínio lógico, mas não devemos nos esquecer que  cada criança tem um acompanhamento diferente em cada disciplina e devemos respeitar o tempo destas.
Uma forma bem eficaz para a compreensão de número, para crianças de 6 anos, é falar  um número, e se ela demorar para responder, pedir que esta pense na quantidade, afim de chegar a construção do número. 
Exemplo, digo o número 2, ela tem mais chance de interpretar antes do algarismo 2 objetos, então ela imagina, 2 bolas, 2 bonecas, ou seja 2 itens antes de qualquer coisa.
Não podemos confundir cálculo mental com “continhas de cabeça”. O cálculo mental refere-se à possibilidade de encontrar a solução de uma operação independentemente de seu registro e utilizando-se técnicas de decomposição.
No exemplo a seguir, usamos a técnica de separar as dezenas e as unidades para melhor fazer o cálculo. 
 
Exemplo 1: na prateleira de uma loja havia 57 pirulitos. Coloquei outros 22. Descubra quantos são os pirulitos agora.
              
   57 + 22 = 50 +20 + 7 + 2 = 79

Os alunos já sabem fazer conta de cabeça, o professor só precisa descobrir as estratégias que eles usam e mostrar outras, a turma vai se sair bem melhor nos cálculos escritos.


Referencias bibliográficas:

Nenhum comentário:

Postar um comentário